Tapera

Autoria: Vargas Neto

Alguns torrões no mais! Um cinamomo!
Heróica retaguarda em retirada!
Cerro as chilenas no bagual que eu domo,
Chego em cima dos restos da morada.

Dou rédes ao pensamento, e então, eu tomo
Rumo do que se foi, em disparada...
Eu vou pensando que a tapera é como
A saudade do rancho feito nada.

Nesse rancho morou uma china linda...
Quanto caboclo não atou seu flete
No cinamomo que está vivo ainda!?...

Quero pensar o rancho tal qual era!
E alço a rédea... a tristeza me acomete
No mistério crioulo da tapera.

Origem: Livro "Tentos e loncas", coletânea organizada por Rui Cardoso Nunes, Zeno Cardoso Nunes e José Hilário Retamozo. AGE Editora. 1993.

Publicado por Roberto Cohen em 15/01/2006.