Textos...
»   Amor Campeiro   Deixei faz tempo a punheta que há muito não dava trégua
»   Aventura de Piá   Barranquear é verbo xucro, mais velho que a monarquia
»   Buceta   Grande buceta crioula, tu foste criada à toa
»   Buceta velha   Velha buceta gaudéria criada em vestido de chita
»   Bombacha branca   Deixei, faz tempo, a punheta, que há muito não tinha trégua
»   Bordel Campeiro   Ah! Poetas que cantais velhas cúpula equinas
»   Caralho   Velha chonga crioula de gloriosa tradição
»   Merda, merda, sempre merda   Parceira que ninguém gosta
»   Milonga para puta Rosaura   Nana, Rosaura, nos teus braços fofos
»   Milongay   Me esperavam de bombacha quando vim...
»   Solto ao Vento   É lindo peidar ao vento, Em orgânica poluição,
»   Melô da Buceta   A racha nas entreperna não há mulher que não tenha
»   Velha buceta gaudéria   Com rasgão de meia légua, estás em fase de trégua no desuso


 Declamadas
»   Minha velha piça crioula   robusta criada guaxa pareces ninho de canha
»   Guasca   Piça velha, guasca torta, nem pra mijar tu não presta
»   Cu, porteira redonda   Cu, porteira redonda, cercada de fios de cabelo...


 Cantadas
»   O Grosso e a Camisinha   Eu faço sexo com minha camisinha
»   Vou na Zona   Toda minha vida gostei de viola e gemido de


 Comentários

Não há roda de tragos entre amigos que, depois das novidades contadas, os artistas não passem a apresentar suas qualidades em declamação.

E vira e mexe, pra agitar a turba, escorrega-se dos poemas sérios pros obscenos (los muy picantes).

Coisas de nossa cultura, que a Página do Gaúcho não se exime de apresentar, por mais censuráveis que alguém possa considerar.

Baita abraço

Cordialmente

Cohen