Lomadee, uma nova espécie na web. A maior plataforma de afiliados da América Latina.

Lista de Poesias

Lomadee, uma nova espécie na web. A maior plataforma de afiliados da América Latina.
 Alcy José de Vargas Cheuiche
»   Eu gostava do meu cusco   Que diacho! Eu gostava do meu cusco.
»   Reza Chucra   Perdoe Virgem Maria por lhe tomar atenção


 Algacyr Costa
»   Vida de Caserna   Me apresentei pra cumprir meu dever de cidadão


 Antonio Augusto Coronel Cruz
»   Gauchesca   Canto agora nestes versos com meu grito entusiasmado a lida


 Antonio Augusto Fagundes
»   Mulher Gaúcha   Os velhos clarins de guerra desempoeirando as gargantas
»   Lenço Branco   nascido de alma caudilha - nem por isso menos franca -


 Apparicio Silva Rillo
»   Canto aos Avós   Os avós eram de carne o osso. Tomavam mate, comiam carne
»   Cusco Cego   Este cusco brasino, cara branca, pequenote e rabão,
»   Desafio   Há um potro dentro de mim, pedindo cancha.
»   Herança   Naqueles tempos, sim, naqueles tempos as casas já nasciam
»   Lagoa   As estrelas pediram, pediram um espelho pra Nosso Senhor
»   Mãe Velha   Cabelo era preto. Que liso era o rosto! Teu corpo era flor.
»   No Bolicho   Traga de vez a garrafa, bolicheiro! me despacha, que hoje...
»   Pago Vago   Vago é meu pago. Este que trago, cicatriz em mim
»   Perfil   Dou rédea aos potros que monto na concha das invenções,
»   Romance do Arrendador   Vendeu os gados e arrendou os campos. Reservou-se apenas,
»   Romance de João da Gaita   Sempre a tocar o cavalo, João da Gaita se criou.
»   Romance do Injustiçado   Como talhado em pau-ferro, o carão de traços duros,
»   Velha Faca   Um palmo e pico de aço, rude e glorioso pedaço da espada de


 Ary Neri de Oliveira e Silva
»   A Doma do Potro Corisco   Correu notícia que havia um fazendeiro afamado...


 Aureliano de Figueiredo Pinto
»   Aqui Estou, Sr. Inverno   Já sei que chegas, Inverno velho!
»   Chimarrão da Madrugada   Não sei por que nesta noite o sono velho cebruno
»   A Oração do Posteiro   De tarde... Boleio a perna e maneio o redomão, -no portão
»   Rom. do Gaúcho Velho Solito   Quando arranchei neste chão empecei pelas mangueiras
»   Romance de Peão   Este tobiano de Estância foi o bicho mais maleva que o diabo
»   Romance do Tropeiro Doido   Já velhito, não perdia uma tropeada comprida


 Balbino Marques da Rocha
»   A Doma do Potro Baio   E um potro baio-amarelo, Que não pelava o lombilho


 Bruna Bassanesi
»   Para Minha Égua, a Seu Jeito   Uma égua eu ganhei, E muito feliz fiquei.


 Caco Coelho
»   Sonhada Querência   Queria que, de repente, tudo fosse diferente, da vida que tenho aqui


 Bernardo Taveira Júnior
»   O Boleador   E o destro campeiro na fúria indomável, seguindo o cavalo que vai


 Cancioneiro Gaúcho
»   Mate   Dizem que o mate afoga as mágoas do coração; mate sobre mate


 Carlos Omar Villela Gomes
»   Hoje é um dia bom pra se...   Hoje é um dia bom pra morrer... Pensou repentinamente, sentindo a alma nos olhos...


 Chico Ribeiro
»   Negrinho do Pastoreio   A mão da noite fechara a porta grande do dia,
»   Tapera   Sem porta e sem janelas, da cumeeira, Tirou-lhe o vento há muito


 Colmar Duarte
»   Saga   Um pouco a pé, um pouco nas carretas, cheguei até aqui com
»   Último Ato   A morte chegou de quieto, com alpargatas barbudas de tanto


 Cristina Areias
»   O Mapa da Coxilha de Fogo   Na luta pela minha terra, deitei nela suor, e sangue,


 Cyro Gavião
»   Petiço   Esse petiço troncho que, ao passito, vem chegando co'a pipa


 Desconhecido
»   Prece do Cavalo   Ao meu amo ofereço minha oração...


 Dimas Costa
»   A Morte do Brigadiano   Houve o tempo em que a "folha" era a arma respeitada, pois assim


 Dirceu Pires Terres
»   O Meu Cavalo Crioulo   Gaúcho velho largado pede aqui um intervalo...


 Fabrício do Prado Nunes
»   Lenda do Negrinho do Pastoreio   Sentado num tronco de corticeira, forrado de couro curtido; já de pontas


 Flávio Ernani Barbizan
»   Partir   Quando eu partir, queira Deus que demore, gostaria que fosse deste


 Glaucus Saraiva
»   Borracho   Pobre borracho... ajoelhado no oratório do bolicho!
»   Lenda do Quero-Quero   Nos velhos tempos de antanho, quando o campo era sem dono
»   Negro do Pastoreio   Negrinho do pastoreio! Aqui em nome de Deus e dos tauras
»   Chimarrão   Amargo doce que eu sorvo, num beijo em lábios de prata.


 Guilherme Schultz Filho
»   Pingos   Em cada ronda da vida eu tive um pingo de lei. Montado, sou como


 Ieda Brock
»   Apenas Saudades   Ah, que saudades que dá na gente quando se acorda cedito e não


 Ilton Carlos Dellandréa
»   Ecos do Vento   Os ventos que rezam na pampa são ventos das fontes mais virgens,
»   Natal Pampiano   O Natal da nossa pampa verdejante vem sem neve nas copadas do


 Jayme Caetano Braum
»   Amargo   Velha infusão gauchesca de topete levantado, o porongo
»   Arroz Carreteiro   Nobre cardápio crioulo, das primitivas jornadas...
»   Bochincho   A um bochincho - certa feita, fui chegando - de curioso
»   Cemitério de Campanha   Cemitério de campanha, rebanho negro de cruzes,
»   Chimarrão e Poesia   Sempre grudado no posto, o payador missioneiro
»   Faca-Coqueiro   Cabo de madeira branca e a folha de palmo e meio,
»   Galo de Rinha   Valente galo de briga, guasca vestido de penas!
»   Gineteando   A la putcha meu patrício, como é lindo e perigoso
»   Hermano   Seu nome - nunca se soube, nem ele mesmo sabia.
»   Hora da Sesta   O sol parece uma brasa na cinza do firmamento.
»   Jogando Truco   O TRUCO é um jogo tão guasca como a Tava e as Chilenas.
»   Natal Galponeiro   A cuia do chimarrão, É o cálice do ritual
»   Negrinho do Pastoreio   Quando de noite transito no meu gauderiar andejo, me paleteia
»   Paisagens Perdidas   A tarde recolhe o manto, carqueja e caraguatá;
»   Payada   Raízes, tronco, ramagem.... Ramagem, tronco, raiz....
»   Payada do Ano Novo   Feliz Ano Novo - indiada, Feliz Ano Novo - gente,
»   Remorsos de Castrador   Um pealo --- um tombo --- grunhidos de impotente rebeldia,
»   Sem Diploma   Bendito aquele que estuda, porque estudar é importante,
»   Seu Esmilindro   Aquele ali, se esquentando, que parece estar dormindo,
»   Tio Anastácio   Entre a Ponte e o Lajeado, na venda do Bonifácio, conheci o tio


 João da Cunha Vargas
»   Deixando O Pago   Alcei a perna no pingo e saí sem rumo certo, Olhei o pampa deserto


 Jorge Lima
»   Minha Alma de Galpão   Quando a tarde chega ao fim avermelhando o poente


 José Carlos Cardoso Goularte
»   De Gaúcho e de Cavalos   Nascido das manhãs claras de claras intenções de amor


 José Hilário Retamozo
»   Exaltação farroupilha   Olha estas mãos afeitas ao manejo das rédeas e das lanças
»   Galpão   Emponchados acorrem aos galpões e o calor que se transmitem


 José Machado Leal
»   Compositor de Cavalos   No bolicho do Barbosa a prosa corria solta
»   Romance do Peão Guerreiro   O rancho era um ninho de paz perdido no verde do pampa.


 Lauro Rodrigues
»   Cavalo Picaço   Foi bem ali, nas Figueiras que sobranceiam as coxilhas
»   Saudade   Quando o sol golpeia no horizonte e se vai reclinar por de trás do


 Leandro Araújo
»   Sonhos de um Guri Campeiro   Muito mais que somente um guri, É um pequeno homem das lidas


 Léo Ribeiro de Souza
»   Lá Nas Contendas   Ruas talhadas no bater de cascos, casebres toscos, num dos quais


 Loresoni Barbosa
»   Elegia à Pátria Amada   Sombreando a beira da estrada passam os filhos bastardos
»   Romance do Guasqueiro Só   Agosto alçou o poncho sobre os ombros da coxilha,


 D. Luiz Felipe de Nadal, Bispo
»   Oração do Gaúcho   Vou chegando, enquanto cevo o amargo de minhas confidências


 Luiz Coronel
»   Pilchas   Não pensem que são pirilampos essas estrelas lá fora.
»   Gaudêncio Sete Luas tem um Canto de Saudades   Atirei minha saudade lá no fundo do riacho. As águas foram gemendo


 Luiz Menezes
»   O Sonho do Carreteiro   Carreteou anos a fio. Conhecia palmo a palmo as estradas da
»   Último Pouso   A morte a china maleva, traçoeira que até dá pena.


 Mano Terra
»   Solo y Libre   Solo y libre, em campo aberto e na amplidão sem limite;
»   O Vazio da Ausência   Hoje a tristeza pealou-me e a dor está dentro do peito.


 Moacir D'Avila Severo
»   Liberdade   Sou sede de tanta gente por este mundo sem fim,
»   A prece de Maria   O Sol desce na amplitude do espaço, na intenção
»   Mensagem de milongas   Quando debatem guitarras nas farras de pulpeiras,
»   Um certo louco   Na estampa um pobre louco, na alma um guitarreiro.
»   Como chuvas num cafundó   A tarde passava ao tranco. Das nuvens um choro manso
»   Funeral de tropas   A tropa aponta na ponta da estrada maleva que leva ao Juízo Final.
»   O desterrado   Pateou cobertas pra saborear o silêncio que a madrugada oferece
»   Desejos   Teu calor, como espinilho, braseando um fogo de chão,
»   Sanchuri   Pala branco encobrindo sesmarias, espelho claro, pedaço de céu
»   Ibirapuitã   Cristalinas águas mansas que passavam
»   Apelo   Liberdade devia ter a força da expressão,
»   Birras   Minha velha, pega a cuia, vamos matear, só nós dois.
»   Verso livre   Meu verso é um grito liberto da alma
»   Um herói   Num passo ao compasso do impulso do peito.
»   Pequeno engraxate   A praça é pomposa, tem caros adornos.


 Marco Aurélio Campos
»   Eis o Homem   Brotei do ventre da Pampa que é Pátria na minha Terra. Sou resumo de uma guerra que ainda tem importância,


 Moises Silveira de Menezes
»   Carta Aberta Ao Guri Que Fui   Quando vim de lá, trouxe quase tudo, tudo que cabia na velha mala
»   Fragmentos Memoriais De Um Anônimo   Não, não me pintem por favor, pilchado, bem montado em flor de flete;
»   Ode à Senhora do Sobrado   Bela e amável senhora apareça no terraço deixe que a brisa brejeira
»   Romance de Campo e Mar   Quem embarca em barco alheio embarca anseios e medos,
»   Um Canto Para Matear Solito   Quando o sol vai despacito me quedo mateando quieto no velho


 Mozart Pereira Soares
»   Flete Negro   Como num sonho pressago, vejo-te além galopear


 Nitheroy Ribeiro
»   Cancela   Quantas recordações tu me trazes a lembrança, das vezes que
»   Fandango   Puxei p'rá riba as esporas farpentas que nem ouriço
»   Redomão   A conta já perdi dos galopes que lhe dei!


 Nogueira Leiria
»   Tropilha de Escuros   Minha parelha de escuros não tem mancha ou lista branca.


 Odilon Ramos
»   Ave Maria do Peão   No reponte do sol que descamba, o dia se aprochega para o
»   Mulher Pampiana   E aqui estou eu meu gaudério, em tempos de guerra e paz, sou


 Oscar Daudt Filho
»   Gaita   Gaita minha... Cancha larga do pensamento


 Pe. Paulo Aripe (Potrilho)
»   Porque Padre Não Casa   Muitas vezes na campanha, Eu ouvi da gauchada


 Paulo de Freitas Mendonça
»   Bem Amigo   Como é bom ver um amigo bem a sorrir por ter e amar alguém
»   Centauro   Quem morre com seu cavalo numa cruzada de cargas
»   Pajada à Morte de Um Poeta   Quando morre um poeta ficam seus versos escritos e muitos temas
»   Querências Amigas   Em Rivera e Livramento pajadores lado a lado


 Paulo Sérgio Boita
»   Cerne Nativo   Vivi meio a lo léo, teatino dos quatro ventos. Levando a vida nos
»   Estrela do Pago   Bendita estrela que brilha no céu do Rio Grande altaneiro
»   Gauderiando   E um carancho lá no mato, pra iniciar o redato desta andança
»   Velho Tata   Golpeio mais um amargo bugra seiva de lembranças. Rememoro...


 Paulo Zenni Araujo
»   Meu Galo   Eu tive um galo de rinha puro sangue, cor prateada, com uma


 Roberto Osório Júnior
»   Horizontes do Pago   Quando o sol da manha sobre as colinas, Lá nos rincões bonitos do


 Ruben Sofildo da Silva
»   Gaúcho   Gaúcho é filho do pago, que ama e zela esta terra
»   Meu Pala   Meu velho pala gaúcho, nobre traste farroupilha,


 Rui Cardoso Nunes
»   Alma Gaudéria   Os rasteadores da História campearam minha memória, do tempo


 Ubirajara Raffo Constant
»   Retorno Bravo   Ali na porta do rancho, junto ao cusquito nervoso, o velho guasca


 Walter Spalding
»   Taperas   Humildemente, jazem cheios de heras, sob a sombra de umbús


 Wilson Araújo
»   Essências   Um galpão, um fogo de chão, um manojo de jujos pendurado


 Valter Nunes Portalete
»   Pedaços de todos nós   Montei no lombo do tempo, pra recordar o passado e ver de perto o


 Vargas Netto
»   Campereada   Hoje, parei rodeio na fazenda da vida!... Apartei um bom lote
»   Chimarrão   Chimarrão! Desculpa boa pra eu apertar os dedos da chinoca,
»   Faca   Faca - amiga de todos os momentos, de tantas utilidades e misteres
»   Lança dos Guedes   Lança dos farrapos sem medo e sem trégua, que nas três
»   Quero-Quero   Que é que tu queres, quero-quero? Implico com teu grito, que aos ...
»   Tapera   Alguns torrões no mais! Um cinamomo! Heróica retaguarda


 Vasco Mello Leiria
»   O Cavalo Crioulo e o Soneto   Lombo liso, o pescoço bem plantado.


 Zeno Cardoso Nunes
»   Briga de Touros   A chuva de verão passou. Veio a estiada. O sol, a pino.


Lomadee, uma nova espécie na web. A maior plataforma de afiliados da América Latina.

Visite também a seção de