Poesia Gaita  

Oscar Daudt Filho (1929)
gentileza de Oscar Daudt Neto

Gaita minha...
Cancha larga do pensamento
Onde adelgaço o tordilho do meu sonho,
Gaita minha...

Porteira da minh’alma
Por onde a grande tropa de meus ais vae disparando
Sem nunca se aquietar.

Gaita que vae, gaita que vem,
Dolorida e boa como a carreteada lenta da saudade.
Gaita que vem, gaita que vae...

Vida... Gaita da gente, que só Deus sabe tocar,
Vida da gente... Gaita de Deus, que Deus fecha quando quer.