Pago Vago

Autoria: Apparicio Silva Rillo

Vago é meu pago.
Este que trago,
cicatriz em mim,
Raiz de minhas íntimas origens,
veio subterrâneo de onde vim.

Vago é meu pago.
Este que trago,
em músculos e ossos.
Inteiro como foi porque é memória,
flor de perenidade entre destroços.

Vago é meu pago.
Este que trago,
como sombra e manto.
É meu destino a cruz de sustentá-lo
nos alicerces de vento de meu canto.

Origem: Livro "Pago vago", autoria de Apparicio Silva Rillo. Martins Livreiro Editor. 1981.

Publicado por Roberto Cohen em 29/05/2001.

Editado por Roberto Cohen em 05/01/2004.