Página do Gaúcho
Grupo Os Serranos

Grupo Os Serranos

Formação Atual (01/05/97)

  • EDSON DUTRA (1968) - Gaita e Vocal
    Nasceu em Bom Jesus/RS, formado pela UFRGS.

  • EVERTON DUTRA (1970) - Contra-baixo e Vocal
    Nasceu em Bom Jesus/RS.

  • RODRIGO MUNARI (1993) - Contra-baixo e Vocal
    Nasceu em Osório (RS)

  • RENATO CUNHA (1993) - Bateria e Vocal
    Nasceu em Sananduva (RS)

  • WALTER MORAIS (1970) - Vocal
    Nasceu em Palmeira das Missões/RS.

  • VOLMIR DUTRA (1993) - Gaita e Vocal
    Nasceu em Santana do Livramento/RS

  • EVERSON MARÉ (1993) - Guitarra e Vocal
    Nasceu em Pelotas/RS

  • DANIEL HACK (1968) - Gaita e Vocal
    Nasceu em Montenegro/RS, formado pela UFRGS.


Discografia

  1. O primeiro disco a ser gravado foi um compacto duplo, pelo selo Sabiá, gravadora Copacabana, São Paulo. Detalhe: o disco foi matéria paga, sendo que Edson Dutra e Frutuoso Araújo, de posse de uma carta de recomendação de Honeyde Bertussi, pegaram suas duas "Todeschini" de 120 baixos e se bandearam para São Paulo, para gravarem seu primeiro disco, isto em 1969... e, conseguiram: Frutuoso tinha, na época 18 anos, Edson, 15. Este disco, hoje é relíquia.

  2. Em 1970, já com o Toco no conjunto, novamente rumam para São Paulo, pois em Porto Alegre não havia gravadora ou estúdio para boas gravações; lá gravaram o primeiro LP, "Nostalgia Gaúcha" já com muita aceitação de vendagem na época, hoje, igualmente uma relíquia, haja visto não existir mais a gravadora que produziu e gravou o disco.

  3. Em 1974, gravaram pela Chanceler/Continental, numa produção de Airton dos Anjos (Patinete), o disco Som Crioulo. A partir desta data se seguiram novas gravações:

    • 1969, "Os Serranos"(compacto duplo)
    • 1970, "Tudo é Brasil" (vários)
    • 1971, "Nostalgia Gaúcha"
    • 1974, "Som Crioulo"
    • 1975, "Rio Grande Nativo"
    • 1980, "Rio Grande Tchê"
    • 1982, "Capão de Mato"
    • 1983, "Baita Macho" e "Ao estilo dos Serranos"
    • 1985, "Outras andanças"
    • 1986, "Isto é... Os Serranos Nossas Andanças" (coletânea)
    • 1988, "Bandeira dos Fortes"
    • 1989, "20 anos de luta e glória"
    • 1991, "Estampa"
    • 1993, "Marcas de talento" e "O grandes sucessos de Os Serranos" (coletânea - CD)
    • 1994, "25 anos de música para o Brasil"
    • 1995, "Tradicionalista"
    • 1996, "MERCOSUL de Canções"

    Este último, foi gravado com expressivos artistas do Uruguai, da Argentina e do Paraguai, em seus próprios países; trata-se da primeira produção em CD, relativa ao Mercosul; sem dúvida um marco na discografia brasileira.

    Como convidados OS SERRANOS já participaram de inúmeros outros discos: Galpão Crioulo, Fogo de Chão, Roda de Chimarrão, Tudo é Brasil, Os Seis de Ouro, Melhores Gaiteiros do Sul, Ronco do Bugio, Califórnia da Canção.



Contatos

Grupo Os Serranos
Escritório
Est. João de Oliveira Remião, 2483
Lomba do Pinheiro - POA/RS - Brasil
91550-000

fone: 051 319 1554 / fax: 051 319 1875

Correio Eletrônico: serranos@via-rs.com.br


Informações Complementares

Conjunto musical fundado em 1968, em Bom Jesus, RS, na serra gaúcha, daí o nome Os Serranos. O conjunto iniciou como dupla Os Serranos, reunindo como fundadores os então estudantes Frutuoso Araújo e Edson Dutra.

O primeiro baile animado pela dupla foi realizado na ETA, Escola Técnica de Agricultura de Viamão, sendo ainda orelhana (sem nome).

Como dupla Os Serranos, o primeiro baile realizado em CTG foi no CTG Presilha do Rio Grande em sua terra natal, Bom Jesus. Na época, faziam-se acompanhar de um baterista e um pandeirista, que não eram fixos. O primeiro equipamento comprado e usado pela dupla foi um amplificador de 30 watts, adquirido com Honeyde Bertussi, que na época trocava de aparelhagem. A dupla usava um só microfone que, por não ter pedestal, o colocava amarrado numa cadeira.

Em 1970, ingressou para Os Serranos como violonista, Everton Becker Dutra, o "Toco", irmão de Edson. O "Toco" foi integrante de dois conjuntos de música moderna: Red Hot Cole, que ele fundou também em Bom Jesus e The Goozes, de Caxias do Sul, atuando como guitarrista.

Nesta época Os Serranos atuavam em muitas festas, bailes e domingueiras muito comuns na região serrana do Rio Grande do Sul e Santa Catarina. O posicionamento do grupo no palco era sentado, não só os acordeonistas mas o violonista e, obviamente, o baterista, a exemplo dos conjuntos importantes da época, Os Bertussi, Os Cobras do teclado, Nelson e Jeanete, Dupla Mirim, entre outros.

Mais tarde, já em Porto Alegre, para onde vieram estudar, Os Serranos convidaram, por indicação do jornalista José Machado leal, diretor dos Muripás, a integrar o conjunto, o excepcional violonista, Valmir Pinheiro, músico de larga experiência que muita qualidade trouxe aos Serranos. Valmir permaneceu até 1980. Nesta ocasião, passageiramente, atuaram nos Serranos, Walter José Pinheiro, José Cláudio Machado e Antoninho Duarte, até que apareceu, lá de Uruguaiana, o guitarrista, Enio Rodrigues. O mesmo, com seu talento de instrumentista, vocalista e arranjador, muito contribuiu para o sucesso dos Serranos. Enio permaneceu até setembro de 1985, quando ingressou para o conjunto o grande músico, vocalista e também arranjador, Amaro Peres.

Em 1975, saía do conjunto para cuidar da sua nova profissão - veterinária - um dos fundadores, o acordeonista, Frutuoso Araújo. Nesta época, também saia do conjunto o seu primeiro baterista, Francisco de Assis Becker Dutra, primo de Edson e Everton. Para a função de baterista, ingressou no conjunto, Luis Tadeu Paim, o "Iti", baterista e vocalista, dono de um timbre de voz privilegiado e inconfundível. Em 1985, José Cláudio Machado volta aos Serranos. Desta vez exclusivamente na função de cantor, onde permaneceu até abril de 1986, participando com sua bela voz, do disco Isto é... OS SERRANOS. (um dos Discos de Ouro que o conjunto tem).

Ocupando o lugar de José Cláudio Machado, ingressa no conjunto um novo talento, Paulo Roberto Pinho, moço de grande experiência em canções da música popular brasileira, com marcante passagem pelo conjunto de Folclore Internacional OS GUACHOS, permanecendo até maio de 1987.

Com a saída de Paulinho, como era chamado carinhosamente pelos seus companheiros, que preferiu se dedicar a carreira advocatícia, ingressou em seu lugar como cantor, Walter Jager Júnior, o "Kico", moço que com apenas 21 anos, já possuía boa experiência como intérprete em outros conjuntos regionalistas, tendo, igualmente, um grande potencial de voz, um timbre agradável, que lembrava, sem qualquer imitação, mas por feliz coincidência, a voz do ex-integrante, José Cláudio Machado.

Em 1989, integrou-se ao conjunto o menino Rodrigo Fogaça, cruzaltense, de apenas 15 anos, para fazer nos trabalhos dos Serranos, um quadro artístico de gaita a ponto. Gravou tão somente uma música no conjunto. Foi o Vaneirão Lascado, juntamente com a gaita do Edson. Em dezembro de 1982, sendo vítima de um gravíssimo acidente automobilístico em sua cidade natal, Rodrigo faleceu. Momento de extremo pesar para OS SERRANOS, que para homenagear a sua memória, gravaram a música "Marca de Talento" , nome de um de seus discos, inclusive.

Em dezembro de 1992, saíram dos SERRANOS para formarem um novo conjunto musical, Amaro Peres, Luis Tadeu Mendes Paim "Iti" e Walter Jeger Júnior "Kico". Em 19 de janeiro de 1993, estrearam no conjunto, quatro novos colegas: Rodrigo Munari, como cantor; Renato Cunha, como baterista; Everson Maré, como guitarrista e Luiz, como cantor. Este último, em março do mesmo ano, cedeu seu lugar para o também cantor Walter Morais.

Registre-se, por oportuno, que após o falecimento de Rodrigo Fogaça, passou a integrar o grupo, na função de gaiteiro de gaita a ponto, um dos campeões do Rodeio de Vacaria, RS, nesta modalidade de concurso, Volmir Dutra.

Em março de 1997, para tocar gaita piano, OS SERRANOS admitem em sua sociedade o jovem e talentoso acordeonista, Daniel Hack, músico de grande experiência no contexto da música regionalista gaúcha.

No cumprimento de contratos de bailes e shows, além de percorrerem por diversas vezes as muitas querências do pago gaúcho, se deslocam seguidamente para SC, PR, MS, MT e SP. Também se destacaram as vezes que estiveram atuando no RJ, DF e GO. No exterior já estiveram na Argentina, em diversas cidades do Paraguai e Uruguai.

Hoje, com moderno equipamento de transporte, som e luz, OS SERRANOS se apresentam com enorme freqüência em fandangos, bailes e shows por todo o Brasil e pelo Mercosul.

Seus esportes preferidos são pescarias e futebol de salão.

O pessoal do Grupo Os Serranos:

  • Diretor Artístico: Edson Dutra
  • Diretor Comercial: Everton Dutra
  • Tesoureiro: Renato Cunha

  • Assessores
    • de Imprensa: Edson Dutra e Rodrigo Munari
    • Arranjadores: Edson Dutra, Everson Maré, Daniel Hack

  • Colaboradores
    • em Arranjos: Everton Dutra, Volmir Dutra, Walter Morais, Rodrigo Munari Renato Cunha
    • Contratos: Cassiano de Lima Tykalowitz
    • Luz e Mesário: Fabiano de Lima Tykalowitz e equipe de som
    • Telão: João Francisco Becker
    • Motoristas: Emerson Francisco Becker Dutra e Sebastião