Página Principal
  Biografia
  Fotografias
  Obras
  Poesias

Página do Gaúcho
Apparicio Silva Rillo



Fotografias extraídas do livro
Apparicio Silva Rillo
30 Anos de Poesia

Editora Tchê
1986


O poeta aos dois anos de idade, em
Guaíba, onde passou sua infãncia.
Ele empurra o carrinho, e um primo o ajuda.




Começou a tocar violão aos
cinco anos. É ele quem nos diz:
"Não aprendi até hoje, infelizmente"




Com seus cinco irmãos menores, em Capela
de Sant'Anna, município de Caí, onde
começou a aprender os segredos da vida
do campo (1943).




Com doze anos, no internato do Colégio
Marista de São Jacó, em Novo
Hamburgo, onde completou o ginásio e
escreveu suas primeiras quadras (1943).




Aos dezoito anos, em Ijuí, estudante de
contabilidade no Colégio Koeller, numa
época romântica que o marcou
profundamente.




De repente estava trocando o terno e a gravata
borboleta pela farda. Na foto, em primeiro plano,
ajoelhado, como cabo do 18 RI (1950)




Formando em Contabilidade pelo Colégio Rosário
em Porto Alegre (1951)




No tempo do linho branco... Em Guaíba,
1949, com a que viria a ser sua esposa.




Ele e ela... e o namoro na janela. Em Guaíba,
nas folgas do serviço militar (1950)




mateando no galpão de fogo que construiu
nos fundos de sua casa, em Nhú-Porá,
município de São Borja (1954)




Com o violão, numa foto promocional de Domingo
no bolicho, peça que escreveu e montou - com
apresentações em São Borja e Porto Alegre (1957)




"Floreando o tango" com a esposa Suzy. no
Clube Comercial de Sâo Borja (1963).




O poeta, a espoa e as quatro filhas.
Em São Borja, 1965.




Com a esposa e os poetas Colmar Duarte e José
Hilário Retamozo, recebendo a Calhandra
de Ouro na V Califórnia da Canção Nativa,
Uruguaiana, 1975




Declamando, num dos Festivais da Barranca, em
São Borja (1980)




E, finalmente, aos 53 anos, em São Borja.
Foram-se os cabelos. Os versos ficaram...